Onde está a gentileza?

Sempre fico me perguntando, nas ruas, no metrô, na vida, na música, na orquestra, nos quartetos, até em casa: onde está a gentileza? Onde está o respeito? A sensação de não ser melhor que ninguém?…

Quando entrava com o violoncelo nos ônibus ou nos metrôs, há 15 anos atrás, quando comecei a estudar violoncelo, não dava 10 segundos e alguém já estava prontamente me dando lugar. Hoje em dia é tão raro que, quando acontece, estranho! Fico realmente surpresa.

Por isso, adotei uma estratégia que tento usar o máximo que posso: adotei a gentileza. Confesso que em casa e no trabalho ainda acho difícil aplicar, especialmente quando contrariada ou de TPM, ou quando viro a Amélia doméstica, mas faço questão de usar com absolutos desconhecidos, já que é muito fácil, é uma simples mudança de padrão na vida. Não entrei na antropofagia dos tempos modernos, não quero passar por cima dos outros, não quero competir!

No trânsito, se alguém me pede passagem, dou imediatamente, preferencialmente sorrindo ou abanando a cabeça GENTILMENTE. Faço gesto que a pessoa “pode passar”. Virou questão de honra.

Por que eu iria querer competir aquele mísero lugarzinho na rua (um metro e meio na frente), com um desconhecido, se assim, com muito esforço para jamais dar lugar a ninguém, o máximo que ia me acontecer seria eu chegar uns 2 minutos mais cedo no meu destino? Que diferença me fariam esses míseros minutos, mais a raiva do mundo e de todos que eu ia ganhar, mais um aumento do suco gástrico, mais um câncer a longo prazo? Que diferença?

Por isso, resolvi mudar: não buzino mais para ninguém, com aquela finalidade chata de ensinar ao desconhecido seu erro (eu nunca erro?), não xingo, não gesticulo, dou lugar (especialmente para mulheres pois elas nunca dão lugar a mulheres e sempre ficam surpresas), sou GENTIL nas ruas, no trânsito.

No metrô lotado peço desculpas e agradeço quando passo arrastando pessoas, involuntariamente, já que estamos espremidos e é impossível sair sem arrastar alguém. Um irmão. Uma irmã. Não somos iguais? Ou o desconhecido também não tem pressa, também não está indo de um lugar para outro, também não está querendo passar, também não se distrai, também não erra, também não quer se sentir bem, acariciado com o sutil sabor da gentileza de um estranho que lhe sorri…

Mamãe me deu educação e eu resolvi usar!!!

Anúncios

4 Respostas para “Onde está a gentileza?

  1. É, realmente a gentileza anda meia sumida nestes dias. Tento ser gentil, mas tenho que reconhecer que é bastante difícil. No trabalho é difícil, no trânsito(muito!) e como você disse, até em casa é complicado. Nós músicos temos a chance de praticar a gentileza na música, não falo somente da relação com os colegas, mas na música mesmo, nas frases, eu sinto falta de gentileza nas frases de boa parte dos interpretes, sinto falta de deixarem a frase acabar para começarem outra, é preciso muita humildade e cuidado para que a getileza na música apareça! Talvez seja culpa dos tempos modernos… mas quem sabe, nós músicos não possamos trazer de volta a gentileza para as nossas vidas através das frases músicais!! Chutei o balde!!!!

  2. E viva a gentileza! Sua mensagem me tocou. Gentileza faz parte do sábio universo feminino. É uma coisa que nós homens temos que (re) aprender com as mulheres. Decididamente nosso mundo precisa de mais docura. Obrigado pela lição de vida.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s